HomeCategorias InternacionaisSainz afirma que carros da F1 precisam ser repensados para evitar impactos...

Sainz afirma que carros da F1 precisam ser repensados para evitar impactos médicos a longo prazo

Piloto da Ferrari demonstra preocupação com a saúde dos pilotos e os impactos a longo prazo com a atual filosofia dos carros

PUBLICIDADE

Após a batida no carro na chicane durante o segundo treino livre da etapa de Miami, Carlos Sainz afirma que os carros da F1 precisam ser repensados. Em entrevista ao site Motorsport.com, o piloto afirmou que teme impactos na saúde a longo prazo dos colegas com a dinâmica dos carros. Ele afirmou que quer iniciar o debate sobre o tema, mesmo sabendo que é um tópico difícil dos pilotos comentarem abertamente.

“Acho que os freios em Miami já pareciam agressivos nesses carros. Houve alguns solavancos em Imola que foram bastante difíceis para o corpo. Mais do que Mônaco, precisamos pensar [sobre] como pilotos e F1 quanto um piloto deve pagar por suas costas e sua saúde em uma carreira na F1 com esse tipo de filosofia de carro?”, disse.

O piloto elogiou os regulamentos e disse que estão atentendo tudo que os pilotos precisam ter para correr, mas reiterou as consequências do peso dos carros nos pilotos.

“Mas precisamos correr tão duros para o pescoço e para as costas como estamos tendo que correr ultimamente, com essa massa de carro? Para mim é mais uma questão filosófica que eu coloco lá, talvez para a F1 e todos repensarem sobre o quanto o piloto precisa realmente pagar um preço em sua carreira com sua saúde, a fim de combater isso. Mônaco será difícil e tudo mais, mas estou pensando mais a longo prazo.”, afirmou

O piloto, que machucou o pecoço com a batida no treino, afirmou que está bem e admite que está fazendo com os comentários apenas com sua experiência.

“Não tive aconselhamento especializado. Eu fiz minhas verificações habituais nas minhas costas, aperto no pescoço, e vejo que este ano estou mais apertado em todos os lugares. Eu já estou sentindo. Eu não preciso de conselhos de especialistas para saber que 10 anos assim vão ser duros, e você vai precisar trabalhar muito em mobilidade, flexibilidade. Vou precisar investir na saúde, na saúde geral do corpo”, refletiu.

Sainz comentou tamém que, caso chegue a “certas direções” sejam seguidas, a FIA precisará entrar no debate sobre o tema. Ele não falou quais direções seriam que levariam ao envolvimento da entidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

8 + 2 =

Leia mais