Os pilotos da Fórmula E se preparam para o “desafio” de Londres

Sam Bird, Robin Frijns e Nyck de Vries, entre outros, analisam os aspectos a considerar na visita deste fim de semana da ABB FIA Fórmula E ao circuito de rua do ExCel Centre em Londres.

Depois de passar por Puebla e Nova York, o campeonato de monopostos 100% elétricos volta à Europa para competir em um novo circuito construído ao redor e dentro do ExCel Centre, um centro de exposições da capital britânica.

“Chegar para minha corrida em casa como piloto britânico em uma equipe britânica, com a Jaguar voltando a correr no país depois de 17 anos, e sendo líder do campeonato, é uma honra, um privilégio. É algo que deveria desfrutar. Vai ser uma luta muito dura neste fim de semana, mas estamos prontos para o desafio”, comentou Sam Bird, que lidera o torneio com 81 pontos, cinco a mais que António Félix da Costa e Robin Frijns.

Bird também falou sobre a redução de energia que os carros terão neste fim de semana – de 52kW a 48kW -, para que os pilotos e equipes tenham que trabalhar no gerenciamento das baterias, algo que a princípio não ocorreria devido às características da pista em Londres.

“Então, basicamente, reduziram a quantidade de energia que todos têm para tornar a corrida um pouco mais interessante. Do contrário, haveria pouca ultrapassagem”, explicou o britânico.

A possibilidade de chuva é um condimento que pode estar presente tanto no sábado como no domingo, mas para Frijns a natureza do circuito, com uma parte interna e outra externa, representa por si só um importante desafio, e ressalta que a classificação será fundamental.

“Acho que só de olhar a pista já dá para ver que é desafiante. A parte de dentro parece ter muita aderência. O lado de fora é como uma pista normal de Fórmula E (com menos aderência). A previsão diz que vai chover, então a pista estará metade molhada e metade seca. Sem dúvida, vai ser um fim de semana difícil. A classificação terá um papel fundamental aqui, já que ultrapassar será muito difícil. E temos os dois carros no Grupo 1, então não acho que vai ser fácil, mas veremos como nos saímos na classificação”, comentou o piloto da Envision Virgin Racing.

Frinjs prevê que a pista de Londres vai ser desafiante | Foto: Cortesia da Fórmula E.

A Mercedes-EQ Formula E Team, por sua vez, chega a Londres com a necessidade de um bom resultado depois de uma sequência de corridas muito complicadas. Nyck de Vries, um dos pilotos da equipe, falou sobre isso.

“Sinceramente, encaramos todos os fins de semana da mesma forma. O objetivo é o mesmo, obviamente estamos aqui para conseguir a maior quantidade de pontos e o melhor resultado possível”, disse o holandês. 

“Sempre vamos a cada fim de semana o mais bem preparados possível, por isso nosso enfoque não é diferente de qualquer outro evento. Certamente será diferente com uma pista metade coberta, possibilidades de chuva, curvas apertadas. Vai ser emocionante, mas nosso enfoque não será diferente.”

Maximilian Gunther, da BMW i Andretti, espera aproveitar a alegria que a vitória na primeira corrida em Nova York, há duas semanas, trouxe para ele e para a equipe.

“A vitória em Nova York foi um grande impulso para toda a equipe e isso é sempre bom. Mas sabemos que começamos do zero aqui em Londres e o mesmo acontecerá em Berlim. Está tudo super apertado nesta temporada na Fórmula E, mais do que nunca, a competição é muito grande e sabemos que precisamos focar no nosso trabalho, fazê-lo muito bem e estou realmente ansioso para correr aqui em Londres”, disse o alemão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui