HomeIndyIndyCar SeriesMiller quer Kyle Larson nas 500 Milhas de Indianápolis

Miller quer Kyle Larson nas 500 Milhas de Indianápolis

"Este é um apelo a Roger Penske, Rick Hendrick e Chevrolet: façam o que for necessário para colocar Kyle Larson em um carro competitivo nas 500 Milhas de Indianápolis de 2022"

PUBLICIDADE

Robin Miller, possivelmente o jornalista de maior prestígio no automobilismo norte-americano, escreveu um artigo no site da revista Racer em que faz um apelo veemente para que seja dado a Kyle Larson equipamento capaz de vencer as 500 Milhas de Indianápolis já no ano que vem.

Ele pede em seu editorial que Roger Penske, Rick Hendrick e a Chevrolet abram o caminho para o piloto da Nascar, que já disse estar disposto a participar da prova, desde que tenha um carro competitivo.

Especializado na Fórmula Indy e profundo conhecedor do esporte, Miller ressalta que Larson está “no meio de uma das grandes temporadas de todos os tempos”.

Além de suas cinco vitórias na Cup, o piloto ainda acumulou este ano triunfos na prova All-Star da Nascar, no Chili Bowl, no King’s Royal, no Prairie Dirt Nationals e no Knoxville Nationals, sendo estes quatro últimos torneios de grande prestígio no cenário do automobilismo raiz dos Estados Unidos.

No último sábado (14), Kyle Larson conquistou em Knoxville mais um título de prestígio em sua carreira
No último sábado (14), Kyle Larson conquistou em Knoxville mais um título de prestígio em sua carreira

“Um Kyle Larson surge uma vez a cada 40 anos, e depois de 53 anos cobrindo corridas de fórmula, ele me faz assistir USAC, NASCAR, World of Outlaws e FLO Racing porque ele é hipnotizante no tráfego ou avançando para a frente. Ele é um ótimo garoto, com bons pais, uma adorável esposa, dois filhos e uma base de fãs que segue crescendo”, escreveu Miler.

O analista aponta que devido à conexão de Kyle Larson com a Chevrolet e com a Hendrick Motorsport, a Hendrick seria a escolha mais lógica: “Isso não significa que seja uma certa, mas uma vitória na Indy 500 é a única coisa que falta na estante de troféus do Sr. H.”, escreve Miller.

“O que quer que Larson dirija tem que ser um Chevy, então a Equipe Penske é a escolha lógica se a Hendrick recusar. Alguns dias com Rick Mears como técnico seriam perfeitos. Ed Carpenter Racing também é um bom lugar para uma única prova.”

O articulista acredita que somente a participação de Larson adicionaria dez mil fãs nas arquibancadas e traria a maior cobertura da mídia em mais de uma década.

Kyle Larson liderou o maior número de voltas no misto de Indianápolis no último domingo
Kyle Larson liderou o maior número de voltas no misto de Indianápolis no último domingo | Sean Gardner/Getty Images

No final do artigo, Miller conta que viu Larson competindo pela primeira vez em 2011, quando o jovem piloto venceu as três divisões no fim de semana mais importante da USAC.

Caminhando com Tony Stewart para o Victory Lane depois da prova, o jornalista disse ter visto um talento tipo A.J. Foyt/Parnelli Jones, e que a Fórmula Indy deveria pegá-lo imediatamente.

“Obviamente, esse acabou não sendo o caminho que ele tomou, mas ainda há uma oportunidade de ouro para Larson deixar seu lugar na 16th com Georgetown (endereço do Indianápolis Motor Speedway). O melhor piloto da América do Norte merece estar na maior corrida do mundo em seu auge. Então façam acontecer, meninos”, finaliza Robin Miller.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + 12 =

Leia mais