HomeCategorias InternacionaisLucas Moraes termina Rally Dakar em terceiro e conquista melhor resultado brasileiro...

Lucas Moraes termina Rally Dakar em terceiro e conquista melhor resultado brasileiro da história

Divindo o carro com Timo Gottschalk, o bicampeão do Rally dos Sertões brilhou e teve o melhor desmepenho de um brasileiro na prova; com título nos protótipos leves, Brasil tem a melhor campanha da história da competição

PUBLICIDADE

A atuação surpreendente de Lucas Moraes na 45ª edição do Rally Dakar foi encerrada neste domingo (15) com a confirmação do terceiro lugar entre os 73 carros inscritos na categoria principal da competição, que teve início no dia 31 de dezembro e percorreu mais de 8.500km em desertos e territórios inóspitos da Arábia Saudita.

Ao lado do navegador alemão Timo Gottschalk e a bordo de um Toyota GR DKR Hilux, Moraes, de 32 anos, terminou no terceiro lugar na classificação geral em sua estreia no Dakar, um resultado que também é o melhor de um brasileiro na prova – superando o oitavo lugar de Klever Kolberg e do navegador francês Pascal Larroque, em 2002, a bordo de um Mitsubishi Pajero Full.

Moraes chegou ao Dakar demonstrando reverência tanto em relação à grandeza do desafio quanto aos principais pilotos, que ele tem como seus ídolos no esporte. O brasileiro, no entanto, acabou registrando a melhor estreia se comparado a seus heróis no Dakar, superando ícones como Carlos Sainz (11º em 2006), Stephane Peterhansel (7º na categoria Carros em 1999), Sébastien Loeb (9º em 2016), Giniel de Villiers (5º em 2003), Yazeed Al-Rajhi (abandonou em 2015) e o próprio Al-Attiyah (10º em 2004).

O resultado é o mais importante da carreira de Moraes e traz embutido outros marcos: melhor piloto da equipe Overdrive, melhor rookie do Dakar 2023 e segundo melhor Toyota da edição número 45, atrás apenas do Toyota GR DKR Hilux da dupla vencedora, Nasser Al-Attiyah (Qatar)/Mathieu Baumel (França). Anteriormente, o piloto tinha como pontos altos a conquista do Rally dos Sertões em 2019, quando tornou-se seu mais jovem campeão, e em 2022.

Lucas Moraes (à direita) ao lado do colega Timo Gottschalk saudam o público após resultado histórico | Duda Bairros/Fotop

“As mensagens me deram força”

“Terminamos o Dakar! Realmente não dá pra acreditar. Acho que ainda vai demorar algum tempo pra cair a ficha. Ainda está difícil de falar, de segurar a emoção. Mas conseguimos! Obrigado pelo apoio de todos lá do Brasil, especialmente aos meus amigos e familiares, ao pessoal todo que não parava de mandar mensagens de incentivo. Elas me deram muita força nestes dias”, disse, ainda com lágrimas nos olhos e voz embargada, Lucas Moraes. “Eu dedico esse pódio ao Brasil, aos fãs e não fãs do rally, a tanta gente que torceu por mim somente por ser brasileiro. Muito obrigado a todos!”, concluiu.

O Brasil comemorou no Dakar 2023 mais um título para a história de seu off-road, com o navegador Gustavo Gugelmin, campeão dos Protótipos Leves em parceria com o piloto norte-americano Austin Jones. Antes, Gugelmin já havia sido bicampeão entre os UTVs de produção preparados para competição: em 2018 com Reinaldo Varela e 2022, com Jones. A dupla ficou 52 minutos à frente dos concorrentes mais próximos, Seth Quintero (EUA) e Dennis Zenz (Alemanha).

Ainda entre os Protótipos Leves, Pâmela Bozzano e Carlos Sachs terminaram no 32º lugar, com Enio Bozzano Junior e Luciano Gomes em 34º. Nos quadriciclos, o brasileiro Marcelo Medeiros terminou em nono lugar após ter vencido quatro especiais seguidas, entre os dias 10 e 13.

Já nos UTVs, Bruno Conti de Oliveira finalizou ao lado do navegador português Pedro Bianchi Prata no sexto lugar, com Rodrigo Luppi de Oliveira e Maykel Justo em 29º e Cristiano Batista, juntamente com o navegador espanhol Fausto Mota, em 32º – eles chegaram a vencer a terceira especial. 

Campeão do Rally Dakar, Nassar Al-Attiyah (à esquerda) celebra desempenho ao lado de Moraes | Victor Eleutério/Fotop

Brasileiros no Dakar 2023
Carros: Lucas Moraes (piloto, 3º colocado)
Protótipos Leves: Gustavo Gugelmin (navegador, campeão), Pâmela Bozzano (piloto, 32º), Carlos Sachs (navegador, 32º), Enio Bozzano Junior (piloto, 34º), Luciano Gomes (34º)
Quadriciclos: Marcelo Medeiros (piloto, 9º)
UTVs: Bruno Conti de Oliveira (piloto, 6º), Rodrigo Luppi de Oliveira (piloto, 29º), Maykel Justo (navegador, 29º), Cristiano Batista (piloto, 32º)

Classificação geral após 14 especiais
1. Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel (Toyota GR DKR Hilux) 45h3min15s
2. Sébastien Loeb/Fabian Lurquin (Prodrive Hunter T1+) +1h20min49s
3. Lucas Moraes/Timo Gottschalk (Toyota Hilux Overdrive) +1h38min31s
4. Giniel de Villiers/Dennis Murphy (Toyota GR DKR Hilux) +2h31min12s
5. Henk Lategan/Brett Cummings (Toyota GR DKR Hilux) +2h36min23s
6. Martin Prokop/Viktor Chytka (Ford Raptor RS Cross Country) +3h40min44s
7. Juan Cruz Yacopini/Daniel Oliveras Carreras (Toyota Hilux Overdrive) +4h27min9s
8. Wei Han/Li Ma (SMG HW2021) +4h29min21s
9. Sebastián Halpern/Bernardo Graue (Mini John Cooper Works Plus) +4h42min38s
10. Guerlain Chicherit/Alex Winocq (Prodrive Hunter T1+) +5h22min10s

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais