HomeNascarXFinity SeriesKaram supera acidente fatal e volta a Pocono sete anos depois

Karam supera acidente fatal e volta a Pocono sete anos depois

Após detrito de seu carro causar a morte de Justin Wilson em 2015, piloto passou por anos de depressão e agora se sente pronto para retornar

PUBLICIDADE

Praticamente sete anos depois, Sage Karam voltará a correr em Pocono, pista a cerca de 40 quilômetros de onde nasceu – Nazareth. Mas também é o local onde viveu seu maior drama na carreira, quando era piloto da Ganassi na Fórmula Indy.

Em agosto de 2015, Karam liderava as 500 Milhas de Pocono. Uma vitória aliviaria a pressão que vinha sofrendo por um campeonato irregular em sua estreia na Indy. Faltando 21 voltas para o final, ele pegou uma depressão na pista e foi parar no muro. Na sequência, uma fatalidade: os detritos de seu carro acertaram a cabeça de Justin Wilson, que faleceu no dia seguinte.

Reveja o incidente que vitimou Justin Wilson

Com apenas 20 anos e carregado de culpa – que não era dele, diga-se -, Karam entrou em um estado de depressão. De então promessa do automobilismo norte-americano a colocar a sua carreira em cheque. Ao final do ano, acabou dispensado pela Ganassi e, desde então, faz aparições esporádicas na Indy e, desde 2021, compete em algumas etapas da NASCAR Xfinity Series, que proporcionou esse retorno à Pocono neste final de semana.

Más lembranças em Pocono

Karam voltou a Pocono em 2018, mas como expectador. Naquela ocasião, vivenciou outra situação dramática: viu seu amigo, Robert Wickens, ser vítima de um acidente muito grave, que o fez perder os movimentos das pernas, também nas 500 Milhas de Pocono.

O acidente de Wickens em Pocono.

Em meio a todo esse drama em Pocono, Karam admite que somente agora se sente pronto para correr no circuito. “Tomei o tempo necessário para poder retornar de maneira adequada. Se eu tivesse a oportunidade de correr lá antes, não sei se estaria pronto. Se não estivesse, não iria, não colocaria alguém em risco, nem quero me machucar. Agora me sinto capaz de maduramente enfrentar isso”, declarou.

Correndo perto de casa, vai contar com o apoio daqueles que sempre estiverem ao seu lado na carreira. “Todo mundo ao meu redor estará lá. Todo mundo que sempre me deu suporte nestes últimos sete anos estará lá, pois estão no quintal de casa”, afirmou.

O primeiro reconhecimento à pista foi nesta sexta-feira (22). Um passeio de bike, passando pela curva 1, onde aconteceu o acidente fatal de Justin Wilson, mas já participou de algumas sessões da categoria.

A superação

Karam precisou de muito apoio para sair da depressão e do estado de culpa pela morte de Justin Wilson. Jody, seu pai, teve um papel muito importante, ao conseguir fazer o filho passar por um psicólogo esportivo, além de fazê-lo permanecer ligado ao esporte, mesmo que em outra modalidade: Sage, ex-lutador de Wresting no High School, atuou como treinador.

Depois, Jody trabalhou para o filho estar em uma agência de marketing capaz de lhe dar conforto emocional, mas também uma oportunidade para correr. Esta conseguiu, além das oportunidades esporádicas na Indy, a chance de ir para a Xfinity.

“Meu filho assumiu muita responsabilidade pelo acidente. Se auto impôs muita dor e culpa a si mesmo. Admiro como ele amadureceu e trabalhou nisso, mas não foi nada sozinho”, disse Jody.

Sage concluiu: “Foi quando percebi que o que nós fazemos é um esporte perigoso. É uma coisa maluca. Um completo acidente. Hoje eu entendo isso, mas quando se é jovem, você não pensa da maneira correta. Eu não pensava dessa forma, que era algo que eu não poderia ter feito nada diferente”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais