Hamilton e Verstappen: o campeonato agora é outro

Contato entre os Lewis Hamilton e Max Verstappen em Silverstone levou o relacionamento dos dois pilotos a outro patamar

Na história da Fórmula 1, já pôde-se presenciar grandes rivalidades. Umas chegaram a ponto de jogar o carro em cima do adversário para garantir o título (vide Senna e Prost em 1989 e 1990). Diferente dessa, a briga entre Lewis Hamilton e Max Verstappen se desenhou de maneira respeitosa até aqui. Os dois não haviam se encontrado na pista… até o GP da Inglaterra. 

Hamilton estava precisando de uma vitória. O heptacampeão via sua maior ameaça no ano abrir vantagem no campeonato, tendo o melhor carro do grid. Além disso, estava correndo em casa, o que era uma motivação a mais para alcançar seu objetivo. Se houvesse mais uma vitória do piloto da Red Bull, suas chances de título começariam a escapar. Por isso, era um grande prêmio importante para os rumos do campeonato.

Verstappen, por sua vez, vinha de três vitórias seguidas. O holandês havia conseguido vencer a Sprint Race – a primeira que a F1 promoveu em sua história – e com isso faturou três pontos. Vencer o GP da Inglaterra significava ampliar sua vantagem no campeonato, rumo a um título inédito do piloto de 23 anos.

Ele largou bem, mas ambos estavam dando o máximo de si para se firmar na frente já no começo. Na curva Copse, Hamilton poderia ter tirado um pouco o pé. Mas a mais de 200km/h, com o que estava em jogo, nenhum dos dois cedeu. O momento não era propício para gentilezas, afinal, temos um título mundial em jogo. 

O resultado da gana de vencer dos dois se ligou à metafísica: dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo. Com isso, Verstappen parou na brita, batendo na barreira de pneus com uma força assustadora de 51G. 

O incidente na Copse pode ser observado de diferentes maneiras. Não é à toa que a discussão nas redes sociais tomou proporções assustadoras. Uns apontam erro do Hamilton, outros incidente de corrida, e é lamentável ver como se teceram vários comentários de cunho racista. Independente de culpado ou não, não cabem de forma nenhuma esses ataques ao heptacampeão mundial. 

Com a vitória de Hamilton, a vantagem de Verstappen caiu para apenas oito pontos. O incidente aumentou ainda mais as tensões entre Red Bull, Mercedes e a própria FIA. Já entre os pilotos, o clima do duelo pelo título será diferente a partir daqui. Com posts, declarações e pressão psicológica para todo lado, a temporada ganha um ar de tensão logo antes das férias do verão europeu. Como será o campeonato a partir do GP da Hungria? 

2 COMENTÁRIOS

  1. Só tomara q saibam diferenciar competitividade de inimizade, apesar q ñ estão lá com o objetivo de fazer amigos respeito e educação são conceitos q estão acima de qlqr outro!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui