Félix da Costa supera desafio e brilha na Stock Car em Interlagos

Português fez dobradinha no pódio em Interlagos com o companheiro de equipe Daniel Serra

António Félix da Costa, atual campeão da Fórmula E, venceu a segunda corrida da etapa da Stock Car em Interlagos e se tornou o segundo estrangeiro a vencer uma prova da categoria e o primeiro fora das corridas de duplas.

Em 2015, Nestor Girolami, venceu fazendo dupla com Ricardo Maurício, justamente o piloto que Da Costa substituiu nesse final de semana. O tricampeão testou positivo para a Covid-19 no início da semana e ficou fora da etapa.

“Eu me sinto muito bem aqui, tenho um respeito e um carinho enorme por todos os pilotos. Fui muito bem recebido e não vejo a hora de voltar”, diz Da Costa.

A comemoração dentro da Eurofarma-RC foi ainda maior com o pódio de Daniel Serra, que largou em vigésimo quarto lugar na segunda corrida e chegou na segunda posição, fechando o domingo com uma dobradinha da equipe.

“Tivemos uma classificação muito boa, mas, fomos do céu ao inferno com a minha desclassificação. Era uma peça que não mudava o peso do carro, porque mesmo sem ela estávamos dentro do peso mínimo, mas, regra é regra. Que bom que deu tudo certo”, afirmou o tricampeão.

Um desfecho incrível para uma semana que começou com a notícia do teste positivo de Ricardo Maurício.

A partir daí a equipe deu início a uma corrida contra o tempo para definir o nome que iria guiar o carro do atual campeão.

António Félix da Costa se tornou em Interlagos segundo estrangeiro a vencer uma prova da Stock Car
António Félix da Costa se tornou em Interlagos segundo estrangeiro a vencer uma prova da Stock Car | Bruno Terena

Desafios do fim de semana

O português Félix da Costa foi o primeiro piloto a ser cogitado pela equipe e uma grande operação foi realizada para trazê-lo ao Brasil a tempo de disputar as corridas.

Da Costa desembarcou no Brasil na sexta e  novos desafios foram enfrentados um a um: mudança no banco, macacão da equipe e principalmente, o pouco tempo de treino.

O carro da atual temporada é muito diferente do que foi anteriormente pilotado pelo português, principalmente em peso e aerodinâmica.

“Esse carro é mais difícil, e eu acabei errando no classificatório. Eu estava muito chateado, mas, fizemos um bom trabalho de casa, com toda a ajuda da equipe, do Daniel e do Ricardo Mauricio que me ajudaram a entender como funciona e conseguimos fazer um trabalho incrível, os mecânicos no pit stop, os engenheiros. O meu carro estava muito bom, por isso, só tenho a agradecer a equipe Eurofarma-RC”, relembra Da Costa.

Mas, os desafios da equipe não pararam por aí. Na noite de sábado, o piloto Daniel Serra recebeu a notícia de que o carro não havia passado na vistoria e ele estava desclassificado.

“Durante o treino classificatório perdemos uma peça que fica fixada no motor”, explica Rosinei Campos.

“Fomos do céu ao inferno e a partir daí o pensamento era como salvar o final de semana”, completa Serra.

Piloto e equipe definiram a estratégia de trocar os quatro pneus na primeira prova, aumentando o tempo de pit stop, deixando porém o carro estaria mais rápido para a segunda corrida.

O plano funcionou e Serra pulou da vigésima quarta posição para o segundo lugar. “Estou muito feliz”, resume.

Daniel Serra acertou na estratégia e terminou em segundo na segunda bateria em Interlagos
Daniel Serra acertou na estratégia e terminou em segundo na segunda bateria em Interlagos | Bruno Terena

O piloto Ricardo Maurício acompanhou tudo de casa e mandou os parabéns para a equipe:

“Queria parabenizar a todos, é muito difícil acompanhar tudo de longe, mas, feliz pelo resultado. Agora é me recuperar e estar de volta em junho”, disse o atual campeão da Stock Car.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui