HomeCategorias InternacionaisChefe da Red Bull apoia aumentar teto orçamentário por causa da inflação;...

Chefe da Red Bull apoia aumentar teto orçamentário por causa da inflação; CEO da Alpine discorda de alteração

Chefe da equipe líder do campeonato afirma que custos subiram "exponencialmente" e sete equipes podem perder os quatro últimos GPs da temporada; CEO da Alpine afirma que inflação alta já era esperada na época que foi feito orçamento de 2022 e que "não é surpresa" o aumento nos custos.

PUBLICIDADE

Um dos tópicos mais polêmicos da temporada da Fórmula 1 é o teto orçamentário. Todas as equipes só podem gastar US$140 milhões de dólares na temporada. Entretanto com o aumento da inflação e dos custos, algumas equipes defendem o aumento do limite em US$1,2 milhão. O tema segue dividindo lideranças de equipe sobre a necessidade do aumento.

O chefe da Red Bull, Christian Horner defendeu, de maneira aberta, a revisão do teto orçamentário da Fórmula 1 em 2022 por conta da inflação. O líder da equipe falou que se não houver mudanças, sete equipes terão perder as quatro últimas etapas da temporada (Estados Unidos, México, São Paulo e Abu Dhabi). Ele cobrou a FIA que busque uma solução para o problema dos custos das equipes.

“Acho que precisamos que a FIA resolva a questão inflacionária porque acho que basicamente cerca de sete das equipes provavelmente precisam perder as últimas quatro corridas para entrar no limite deste ano, a partir do consenso de que houve altos e baixos no paddock. Não se trata apenas das grandes equipes agora, são as equipes no meio do campo que estão realmente lutando com a taxa inflacionária que estamos vendo que pode até piorar no segundo semestre do ano.”, disse.

Horner acrescentou que ninguém quer estourar o limite e sofrer penalizações por aumento de custos. Ele argumentou que os custos estão subindo, de maneira exponencial e usou o frete como exemplo.

“Acho que ninguém quer estar nessa posição, e é por isso que acho que no segundo semestre do ano, a FIA precisa resolver o problema, porque coisas como contas de energia, apenas custo de vida, vemos que os custos estão crescendo exponencialmente . E a Fórmula 1 não está isenta disso. Nós vemos isso no frete, isso é quadruplicado. E isso não é algo que podemos controlar”.

A ideia de mexer com os limites que a equipes podem gastar na temporada não é unânime entre as equipes. O CEO da Alpine, Otmar Szafnauer disse que é contrário a alteração e que não é surpresa o aumento da inflação citando os índices do varejo no Reino Unido

“Nós não somos a favor disso, nós estabelecemos nossos orçamentos cedo, nós meio que antecipamos um pouco da inflação, a inflação simplesmente não nos atingiu. Se você olhar para trás em dezembro, o RPI [índice de preços no varejo no Reino Unido] já estava em 7%. E a maioria das equipes faz seus orçamentos entre novembro e dezembro. Para nós, não foi uma surpresa.”, analisou.

Szafnauer afirmou que a equipe está gastando abaixo do teto, mas admitiu que não estava planejando os atuais custos com o frete.

“Ainda estamos abaixo do limite, embora não tenhamos planejado um custo de frete tão alto quanto estamos experimentando agora, mas ainda estamos abaixo, e se pudermos fazê-lo, para certeza que outros podem fazê-lo também. Então eu não sou apenas para aumentar o limite”, comentou,

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais