Atlanta: um oval muito especial para Kevin Harvick

Sem vencer há seis meses, o piloto da Stewart-Haas busca se recuperar em Atlanta, pista onde tem os melhores resultados entre os que vão largar

A primeira vitória de Kevin Harvick na NASCAR Cup, em 2001, no Atlanta Motor Speedway, garantiu um lugar de honra no panteão de provas inesquecíveis da categoria.

Foi a primeira da Richard Childress Racing depois da morte de Dale Earnhardt, a primeira de Harvick em apenas sua terceira participação na categoria e, na ocasião, se tornou o segundo resultado mais apertado da história moderna da NASCAR.

O piloto superou Jeff Gordon por apenas seis milésimos de segundo. Ainda hoje, esta é a quinta menor diferença na linha de chegada da categoria.

Kevin Harvick comemora sua primeira vitória na NASCAR Cup, em Atlanta
Kevin Harvick comemora sua primeira vitória na NASCAR Cup, em Atlanta

Mudança radical

A guinada no destino de Harvick aconteceu quando Dale Earnhardt perdeu a vida no finalzinho das 500 Milhas de Daytona, menos de um mês antes. O então jovem piloto de 25 anos assistia a prova em casa.

“Obviamente, mudou nosso esporte para sempre. Mudou minha vida para sempre e a direção dela, a ponto de alterar o que eu faria nos próximos dois dias. Quando olho para trás, havia tantos sentimentos pelos quais estávamos passando. Não apenas para mim, mas para todos que eram parte da RCR e do esporte em geral. Foi obviamente uma época muito estranha” – relembra Harvick.

Havia muitas decisões a serem tomadas, e elas aconteceram de forma rápida. Ficou estabelecido que Harvick, na época competindo no que é atual NASCAR XFinity Series, disputaria o título nas duas categorias.

Carro 29

Na Cup, Kevin Harvick assumiu toda a estrutura do carro 3, só mudando o número para 29. A responsabilidade de substituir o piloto ícone da categoria era grande.

Por isso, nada mais espetacular poderia ter acontecido do que Harvick segurar o ataque final de Jeff Gordon, então tricampeão em campanha para o tetra.

Normal, portanto, que as lembranças da primeira vitória sejam confusas.

“Eu me vi meio fora nas últimas duas voltas porque era difícil não ver as pessoas penduradas na cerca da reta oposta. Quero dizer, elas estavam grudadas na cerca da reta oposta. Me lembro de quão barulhento o público estava depois que fiz o burn out e percorri a pista de marcha à ré. O resto é um pouco confuso em relação ao que me lembro e ao que não me lembro” – busca na memória Harvick.

Em busca do reencontro com a vitória

Ainda sem uma vitória este ano, Harvick chega em Atlanta com o melhor currículo entre os 39 pilotos que participarão da prova.

O veterano é o líder em número de vitórias, junto com Kurt Busch, com três.

Mas ao contrário de Kurt, que venceu pela última vez em 2010, Harvick triunfou em duas das três últimas provas realizadas no oval de uma milha e meia.

Além disso, o piloto da Stewart-Haas tem nove Top 5s e já liderou 1.348 voltas em Atlanta, mais do qualquer outro piloto da ativa.

Contra Harvick, porém, a atual fase.

A última vitória dele aconteceu há seis meses, em 19 de setembro de 2020, em Bristol. Nada demais para um piloto comum, mas que ganha peso quando consideramos que o carro 4 venceu nove vezes no ano passado, entre fevereiro e setembro.

Porém, o desempenho de Kevin Harvick este ano não está tão ruim assim.

Ele é um dos três únicos pilotos até agora a ter terminado entre os dez primeiros em quatro das cinco provas realizadas. Os outros dois são Denny Hamlin e Kyle Larson.

Na prova deste domingo (21), que será transmitida pelo Fox Sports, Kevin Harvick larga em sétimo, em busca de seu quarto triunfo em Atlanta e o primeiro este ano.

Kevin Harvick cruzando a linha de chegada em Atlanta em 2020
Kevin Harvick cruzando a linha de chegada em Atlanta em 2020 | Chris Graythen | Getty Images

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui